Aécio abre debate sobre 25 anos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Uma maior integração e cooperação entre os países de língua portuguesa foi defendida pelo deputado federal Aécio Neves na abertura do encontro que reúne, esta semana, em Lisboa (Portugal), lideranças e representantes das 10 nações que formam a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Como presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados, Aécio abriu o Seminário Internacional Agostinho da Silva, nesta quinta-feira (11/11). O evento faz parte das comemorações dos 25 anos da criação da comunidade.

Aécio destacou, em seu pronunciamento, os principais desafios globais enfrentados na atualidade.

“Enfrentamos um triplo desafio, num só momento: a pandemia, a pobreza e a mudança do clima. A cooperação entre países, mais do que nunca, é relevante. Já avançamos juntos em áreas centrais para nossa própria sobrevivência, mas tenho certeza de que podemos fazer muito mais”, afirmou.

IMG_7264
Para a plateia formada por parlamentares e lideranças da CPLP, entre eles o presidente da Câmara dos Deputados no Brasil, Arthur Lira, o presidente da Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau e da Assembleia Parlamentar da CPLP, Cipriano Cassamá, o presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-Portugal, deputado Nuno Carvalho, Aécio defendeu que o país assuma maior protagonismo na produção de vacinas e medicamentos destinados a nações menos desenvolvidas.

“O atual desequilíbrio entre vacinados e não vacinados é inaceitável. Temos no Brasil várias instituições capazes de contribuir para o esforço de incrementar a produção mundial de vacinas e medicamentos anti-COVID. Esse é o papel que a sociedade brasileira pode desempenhar desde já, e contando com a colaboração do Congresso Nacional”, afirmou, destacando a aprovação da nova lei de patentes, que prevê a quebra dos direitos de propriedade de imunizantes e medicamentos em emergências de saúde pública.

Meio ambiente

Nos esforços para conservação do clima no planeta, Aécio disse que o Brasil deve avançar também na cooperação dentro da CPLP.

“O Brasil tem matriz energética limpa e larga experiência em tecnologias verdes, como os biocombustíveis. Devemos, portanto, avançar na transferência de tecnologia dentro dos países da comunidade. Não será impondo metas inatingíveis e discriminando a agricultura tropical que vamos superar os desafios da mudança do clima. Não nos esqueçamos de que o conceito de sustentabilidade inclui os pilares econômico e social. Quanto mais barreiras ao comércio, maior a pobreza entre as nações”, disse.

Como presidente da Comissão de Relações, Aécio convidou o jogador brasileiro Daniel Alves a atuar como embaixador da CPLP. O atleta olímpico conduz um projeto de criação, no próximo ano, de um instituto para a formação de crianças e adolescentes no futebol.

“Temos a honra de ter presente aqui, hoje, um atleta que se dispôs a colocar seu talento, sua visibilidade, mas também seu trabalho social, à disposição da CPLP. Recordista de prêmios e de campeonatos, mais recentemente medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio, o grande Daniel Alves”, saudou.

O acordo de integração e cooperação entre os países de língua portuguesa é formado pelo Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Guiné Equatorial e o Timor Leste.

O seminário que marca os 25 anos de formação da comunidade promoverá amanhã debates sobre o agronegócio.

Leia íntegra do pronunciamento de Aécio Neves

IMG_7300

Fotos: ASSESSORIA DE IMPRENSA – CREDN/DIVULGAÇÃO

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+