Carta à OMS formaliza intercâmbio de equipes para produzir vacina no Brasil

Vials containing CoronaVac, Sinovac's vaccine against the coronavirus disease (COVID-19), are seen at Butantan biomedical production center in Sao Paulo, Brazil January 22, 2021. REUTERS/Amanda Perobelli

Como consequência da recente reunião entre o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom, e os presidentes das Comissões de Relações Exteriores da Câmara, deputado Aécio Neves, e do Senado, senadora Katia Abreu, o Instituto Butantan já encaminhou os nomes dos cientistas da instituição que serão os interlocutores junto ao órgão internacional no esforço por acelerar os trabalhos de produção de vacinas no Brasil.

No último dia primeiro, os dois parlamentares pediram à OMS envio de missões técnicas ao país para apoio ao desenvolvimento da produção autônoma de imunizantes.

Na carta enviada nessa terça-feira (13/04), a disposição do instituto foi comunicada ao diretor geral da OMS em ofício assinado pelo deputado Aécio Neves e pela senadora Katia Abreu, com a indicação do Diretor de Estratégia Institucional da Fundação Butantan, Dr. Raul Machado Neto, e a Especialista de Estratégias Institucionais, Dra. Débora Botéquio Moretti.

O Butantan, através de seu diretor Dimas Covas, demonstrou grande interesse em receber os especialistas da OMS, considerando esse intercâmbio fundamental para que o instituto possa produzir no Brasil vacinas, sem a necessidade de importação do IFA, hoje um dos entraves para  aumento de escala da produção nacional.

Foto: Reuters/Amanda Perobelli

 

Leia aqui a Carta à OMS

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+