AMB solicita apoio da CREDN para concessão de vistos humanitários a juízas afegãs

Presidente da Associação de Magistrados Brasileiros também pede apoio para a promoção da campanha internacional contra a violência doméstica

Aécio e a presidente da AMB, juíza Renata Gil de Alcântara Videira

O presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CREDN), deputado Aécio Neves (PSDB-MG), recebeu, nesta quarta-feira (25/08), a presidente da Associação de Magistrados Brasileiros (AMB), a juíza Renata Gil de Alcântara Videira, que veio transmitir o pleito da União Internacional dos Magistrados (UIM), endossado pela entidade brasileira, em defesa da concessão de vistos humanitários para juízas afegãs e suas famílias. A Presidente da AMB registrou a grande preocupação de magistrados brasileiros com as recorrentes violações de direitos humanos vivenciadas no Afeganistão durante o regime Talibã.

Aécio Neves informou que reiterou junto aos Ministros das Relações Exteriores e da Justiça o pedido para que a portaria interministerial regulamentando a concessão de vistos de acolhida humanitária para cidadãos do Afeganistão fosse editada com urgência.

“A instabilidade da situação local não nos deixa espaço para adiar a regulamentação do visto humanitário para cidadãos do Afeganistão. Com a proximidade da data limite para a retirada das tropas da OTAN, definida para a próxima terça-feira, 31 de agosto, é preciso que o Brasil esteja plenamente habilitado a contribuir para o esforço internacional de acolhimento dos refugiados afegãos, em especial de mulheres e meninas”.

O deputado também solicitou a ajuda da AMB na organização dos documentos necessários para dar entrada nos futuros pedidos de reconhecimento da condição de refugiado junto ao Comitê de Nacional de Refugiados (CONARE), tão logo a etapa de regulamentação dos vistos de acolhida humanitária seja finalizada.

A presidente da AMB também requisitou o apoio da Comissão para a promoção de campanha internacional contra a violência doméstica, em linha com a recém lançada campanha Sinal Vermelho contra a Violência Doméstica.

“Embora a lei brasileira seja considerada umas das três melhores do mundo nessa matéria, o Brasil é hoje o quinto país no mundo em número de casos registrados de violência contra a mulher”, afirmou a juíza Renata Gil.

Aécio Neves concordou com a gravidade da situação e com a necessidade de dar visibilidade à iniciativa. “A violência contra mulheres é ainda mais dramática entre a população de baixa renda e com menor escolaridade, que muitas vezes não têm meios reais e assistência técnica ou familiar para se defenderem de situações extremas”, afirmou Aécio Neves, ao indicar sua intenção de coordenar-se com a Comissão de Relações Exteriores do Senado, para que se adote ação conjunta do Congresso Nacional nesse projeto.

Assessoria de Imprensa da CREDN

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+