Aécio critica exigências do Brasil para acolhimento a afegãos

Presidente da CREDN também pediu medidas concretas para o combate à imigração ilegal

29-09-21- CREDN

Como presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara (CREDN), o deputado Aécio Neves enviou ofício ao ministro das Relações Exteriores, Carlos França, solicitando que sejam reavaliadas as condições impostas para a concessão de vistos humanitários para afegãos, pelo governo brasileiro.

Aécio Neves criticou, nesta quarta-feira (29/09), as exigências estabelecidas a afegãos de apresentação de uma carta de compromisso de instituição ou ONG responsável pelas despesas de hospedagem, alimentação, transporte, custos de testes PCR para Covid e ainda o pagamento de taxas para aqueles que não têm passaporte válido, para serviços de tradução e intérprete e do bilhete de viagem aérea até o Brasil.

“Encaminhei ofício ao chanceler, pedindo esclarecimentos quanto às razões para a edição dessas normas, uma vez que esses requisitos não são exigidos de cidadãos sírios e haitianos, também contemplados por vistos de acolhida humanitária na legislação nacional. Solicitei que as essas exigências sejam reavaliadas e o Brasil possa receber os cidadãos afegãos que estão sendo perseguidos pelo Talibã ou que estejam em situação de extrema vulnerabilidade”, explicou Aécio.

O deputado lembrou que a portaria autorizando a emissão de vistos a afegãos, editada no dia 3 de setembro, foi celebrada por todos os membros da CREDN, “mas as exigências impostas em seguida estão em total descompasso com o espírito que norteia o acolhimento humanitário e solidário e com os princípios que regem a nossa Política Externa”, destacou.

Combate às máfias de imigração ilegal

Aécio também se solidarizou com a família da brasileira encontrada morta no deserto do Novo México, nos EUA. Ele cobrou ações concretas e objetivas por parte dos governos do Brasil e dos EUA no combate às máfias de coiotes que promovem a imigração ilegal para o território norte-americano.

“Em nome da comissão, exorto a que as autoridades diplomáticas dos EUA e do Brasil busquem uma solução conjunta para impedir que essas máfias continuem atuando, aliciando com falsas promessas, pessoas que, em sua esmagadora maioria, buscam apenas uma oportunidade de vida melhor. Não se trata de um problema eminentemente migratório, mas de segurança para ambos os países”, observou o deputado.

Aécio Neves também lamentou o falecimento da brasileira Lenilda dos Santos, de 49 anos, que foi abandonada, sem água e sem comida, quando realizava a travessia entre o México e os EUA. Seu corpo foi encontrado no dia 15, no deserto de Deming, no Novo México.

“A história de Lenilda dos Santos soma-se a dos imigrantes ilegais do Brasil, Equador, El Salvador, Honduras, Guatemala, México e Peru, encontrados, no último dia 16, na carroceria de um caminhão, tentando entrar ilegalmente nos EUA”, lamentou.

Dados do governo norte-americano revelam que, entre outubro de 2020 e agosto de 2021, 46.410 brasileiros foram detidos na fronteira sul dos EUA através do México.

Fonte: Assessoria de Comunicação da CREDN

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+